sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Amor eterno


"Contar uma história
é dar um presente de amor."
Lewis Carrol



Amor de avó
é amor pra vida inteira.
É o cheiro do feijão que não some
o gosto daquele pastel caseiro e bolos deliciosos
na boca da criança que não quer crescer.
Porque ser neta
é ser protegida de todos os males
é estar num colo bem quentinho
que ameniza qualquer dor.
É dormir tranquila mesmo que a tempestade
cubra a noite com seus raios e trovoadas.
Ouvindo histórias que povoarão
para sempre a memória.
Histórias que embalam a vida
mesmo quando a vilã morte leva
a avó tão querida.


Homenagem a minha vozinha Ottília a vovó Estelita e a todas as avós que com ela fazem morada no céu.

6 comentários:

Poesia aos gritos disse...

Vovós são fofinhas... nunca mais vou ver a minha, mas sempre acho que ela esta ali num canto calada, com os olhos buticados, brilhando, fumando um cigarro ou tomando um cafe.
Vovós não morrem, elas ficam invisiveis.
Beijos, Lia!

Lia Noronha disse...

Obrigada pelo carinho...netinah da vovó eslita.
Bjus mil!!

Sil.. disse...

Parece que senti o cheiro do feijão da minha.............
Mas como disse, qquer dia a gente vai se encontrar.


Um abraço enorme Lia.

Lia Noronha disse...

Sil: obrigada pela carinhosa visita...abraços mil!!!

Silvana Sampaio disse...

Lindo poema Lia, fez-me lembrar de um que fiz para minha bisavó, deliciosa velhinha tricoteira que partiu quando eu tinha 15 anos.
Beijos e parabéns, seu blog é lindo!
Vou sentir-me muito honrada por ter um cantinho nele.
Obrigada pelo convite.
Silvana Sampaio

Lia Noronha &Silvio Spersivo disse...

terá um espeço bem especial por aqui Silvana...com certeza!!
bjins querida.